CARTA AO PROFESSOR

Caro professor, ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas, por favor, diga-lhe que, para cada vilão há um herói, que para cada egoísta, há também um líder dedicado, ensine-lhe, por favor, que para cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada, ensine-o a perder, mas também, a saber, gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso, faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros no céu, as flores no campo, os montes e os vales.

*Carta de Abraham Lincoln ao professor do seu filho.

Anúncios

LIVRO: Macário/Noite na taverna

 Livro: Macário/Noite na taverna

Autor: Álvares de Azevedo

Editora: Globo

Esta edição de Macário e Noite na taverna, de Álvares de Azevedo, com organização, notas e posfácio de Cilaine Alves Cunha, pretende ser um marco entre as edições dessas obras. Para tal, a organizadora se utilizou da edição princeps (1855), cotejando-a com a de Homero Pires das Obras completas de Álvares de Azevedo, de 1942, vindo a estabelecer um texto mais próximo da lição original, que em geral havia se perdido nas edições de vulgarização. O extenso e precioso aparato de notas desdobra as referências onomásticas e bibliográficas dos textos, fornece esclarecimentos lingüísticos, além de indicar diferenças entre as edições utilizadas.

“À professora e pesquisadora Cilaine Alves Cunha, especialista na obra de Álvares de Azevedo, coube a organização geral e o posfácio, que funcionam como um filtro das interferências a que estiveram sujeitos os textos do autor, além de apresentar uma justa dimensão de Azevedo no contexto do romantismo, numa perspectiva bem mais profunda do que à primeira vista seria de supor-se.” Gismair Martins Teixeira, O Popular, Goiânia, 10 jul. 2007. Caderno Magazine

Fonte: Globo Livros

“Livros cinematográficos”

Livros Cinematográficos

Livros são sempre uma surpresa ao alcance das mãos!

Ler um bom livro é ter o direito de fazer parte de uma maravilhosa história, rir , chorar, se emocionar, torcer pelos desfechos mais surpreendentes, e encantar-se com todas as magias possíveis.

Padre Antônio Vieira tem um dos melhores conceitos para o que é um livro: “Livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive”.

Hoje em dia estamos presenciando uma febre da indústria cinematográfica que está investindo pesado em roteiros embasados em livros de grande sucesso.

Listamos alguns:

“O silêncio dos inocentes” – de Thomas Harris;

“Tropa de Elite” – inspirado no Livro “Elite da Tropa” de André Batista e Rodrigo Pimentel;

“Anna e o Rei” – escrito por Margaret Landon em 1944, o livro virou filme em 1946 e 1999;

“O Quatrilho” – de José Clemente Pozenato, indicado ao Oscar como melhor filme estrangeiro de 1995;

“Onde os velhos não tem vez” – de Cormac macCarthy;

“Divã” – de Martha Medeiros;

Livros cinematograficos

“…E o Vento Levou” – filme baseado no livro de Margaret Mitchell:

“Nosso Lar “ – baseado na obra homônima  psicografia pelo médium Chico Xavier, sob a influência do espírito André Luiz;

“A lista de Schindler” – de Thomas keneally;

“O Bem amado” – Baseado na obra de Dias Gomes “O Bem Amado”;

“O exorcista” – de William Peter Blatty;

“O Paciente Inglês” – filme adaptado do livro de Michael Ondaatje;

“O Diário de Bridget Jones” –  Helen Fielding;

“As Crônicas de Nárnia” – Baseado no livro “The Chronicles of Narnia: The Lion, the Witch and the Wardrobe”, de C. S. Lewis;

“Tieta do Agreste” –  filme baseado na obra de Jorge Amado;

“O Colecionador de Ossos” – thriller adaptado de livro homônimo de Jeff Deaver;

“Harry Potter ” – adaptação série de best-sellers de J.K. Rowling;

“O Senhor dos Anéis” – trilogia de J.R.R. Tolkien;

“Comer, Rezar e Amar “ – de Elizabeth Gilbert;

“O Código Da Vinci” – de Dan Brown;

“O Caçador de Pipas” – Khaled Hosseini;

“Alice no País das Maravilhas” – clássico de Lewis Carroll;

“Saga Crepúsculo” – Stephenie Meyer…

Como leitora de carteirinha confesso que na maioria das vezes as Adaptações de livros para o cinema vão desapontar os leitores do original, afinal “imaginação dos outros é terra que ninguém vai” , e com isso as páginas encantadas são mais ricas do que as mais modernas técnica cinematográfica e o leitor não é obrigado a fazer adaptações apertadas para que a história caiba em um tempo certo e com limites de custos.

Eu, particularmente, li boa parte destes livros, e indico todos….

E você??? Qual o seu Livro favorito que encantou o cinema????